Mercados-Alvo

Desenhados no Planejamento Estratégico do CICB, os mercados-alvo para o couro brasileiro têm características, demandas e ações próprias a serem executadas nos próximos anos. A seguir, veja alguns detalhes sobre os oito países determinados como mercados-alvo para a indústria coureira nacional.
ESPANHA
A participação brasileira neste mercado ainda possui um potencial de crescimento muito grande, pois em 2014 ficou em cerca de 2%. A Espanha situa-se também entre os grandes importadores mundiais de couros e peles, com quase US$ 600 milhões em 2014 sem considerar os couros salgados, segundo dados do Comtrade.
POLÔNIA
A participação das exportações brasileiras do setor neste país são pífias (abaixo de 1%), porém as possibilidades são grandes, pois importou em 2013 mais de US$ 500 milhões, situando-se entre os grandes importadores mundiais. Com crescimento de 28% entre 2010 e 2013, mostra-se como um potencial mercado, que necessita ser explorado.
ÍNDIA
As ações e prospecções realizadas, com missões empresariais, rodadas de negócios, projetos compradores no Brasil e vendedores na Índia deram fortes resultados, porém o mercado ainda necessita de ações com maior impacto, com mais empresas do projeto envolvidas.
VIETNÃ
O Vietnã em 2013 tornou-se o terceiro maior importador mundial de Couros e Peles. Está agora acima de países como Alemanha e Coréia do Sul, de forma que é um mercado demandante que possui pouca matéria-prima, necessitando importar a maior parte de suas necessidades, principalmente em Couro Acabado.
CHINA / HONG KONG
O mercado para o couro brasileiro na China, incluindo Honk Kong, ainda está concentrado principalmente em couros para o mercado de estofamentos. Temos como objetivo manter o mercado já conquistado, bem como retomar a queda de 2015 com a ampliação das vendas para novos segmentos, como calçados e artefatos.
EUA
Os EUA foi o 10º maior importador mundial de Couros e Peles em 2013, com concentração principalmente em couros acabados. Além da manutenção, temos que ampliar as vendas de couros para o mercado automotivo e couros para nichos de mercado, com forte desenvolvimento e design nos artefatos e demais artigos de couro.
ITÁLIA
A Itália continua sendo o benchmark para o mercado de couro mundial. Este país exige prospecções mais apuradas, com uma busca de maior integração com entidades setoriais de couros, calçados, artefatos e demais artigos de couro, bem como no setor automobilístico, analisando e projetando possíveis missões empresariais para os próximos anos.
TAILÂNDIA
A Tailândia permanece sendo um país alvo para o setor, pois continua entre os 15 maiores importadores mundiais. Ainda é necessário o desenvolvimento de mercado, bem como a busca de integração maior com entidades setoriais, planejando eventuais missões empresariais e participações em feiras setoriais.